Notícias


Seca pode influenciar na área de soja em Campo Mourão (PR)

Publicada em 03-10-2007




As estimativas iniciais do Departamento de Economia Rural (Deral), órgão da Secretaria de Estado da Agricultura do Paraná (Seab), eram de que nessa safra seriam cultivados 567 mil hectares de soja, cerca de 1% menor em relação a passada que foi de 573 mil hectares.

Porém, os técnicos do Deral estão realizando trabalho de campo e a área poderá elevar. Além do milho os produtores rurais estão enfrentando problemas para plantar a mandioca e o prazo indicado para cultivo dessa cultura já está encerrando. No Paraná o período indicado pelo zoneamento para o plantio da soja concentra-se entre 15 de outubro a 30 de dezembro. Segundo o engenheiro agrônomo do Deral, Edilson Souza e Silva, na região alguns produtores costumam iniciar com o plantio a partir do dia cinco de outubro.

A recomendação dos técnicos é para que o plantio seja efetuado somente se ocorrer chuvas de 30 a 50 milímetros. “É arriscado fazer o plantio apostando em previsões de chuvas. Só recomendamos após os produtores rurais constarem regulariedade no déficit hídrico. É necessário que os agricultores aguardem o melhor momento”, comenta Silva e ressalta que a recomendação também vale para o milho.

A medida deve ser adotada para evitar perdas de sementes e insumos com a seca. "O produtor deve estar atento as recomendações da pesquisa e assistência técnica, considerando que um plantio em dia errado pode comprometer a produção, produtividade e rentabilidade das lavouras", salienta Silva.

O clima foi extremamente seco no inverno, e a possibilidade de uma extensão desse quadro durante a primavera, com um regime de chuvas esparsas sobre o Estado, como está sendo previsto pelos institutos de meteorologia. De acordo com o Deral, em Campo Mourão de 26 de julho até 28 de setembro foi registrado chuvas que somaram 30 milímetros.

Mercado:

Um outro fator que pode influenciar o plantio de soja é o comportamento do mercado, pois os preços estão reagindo e seguem com perspectivas de se manterem bons. Na última safra a saca de soja foi comercializada a R$ 23 e atualmente está em torno de R$ 36. Em dólar os preços estão ao redor de US$ 17 a US$ 18 a saca que valores obtidos pela terceira vez nos últimos dez anos. Segundo o gerente técnico-econômico da Organização das Cooperativas do Estado do Paraná (Ocepar), Flávio Turra, diz que os preços devem se manter.

Ele diz que em virtude da produção de etanol os Estado Unidos aumentaram a área de milho e houve queda na de soja. “Isso causou impacto nos preços internacionais”, explica Turra. Ele diz que há uma preocupação com relação ao clima, pois as previsões prevê chuvas abaixo da média para a primavera. “Uma outra preocupação é com o mês de janeiro quando historicamente ocorre o verânico”.

Conforme Turra o Paraná deverá plantar cerca de quatro milhões de hectares de soja. “Essa área é um pouco maior do que a safra passada. Porém, devido a estiagem que está atrapalhando o plantio de milho, alguns produtores deverão migrar para a soja”.


Fonte: AGROLINK