Notícias


Mato Grosso terá plantio recorde de soja e algodão em 2010/11

Publicada em 06-12-2010


Com os bons preços internacionais e custos de produção estimulantes, o Mato Grosso terá um plantio recorde de soja e algodão na temporada 2010/11, informou nesta quinta-feira o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), órgão ligado aos produtores.

O Imea elevou em sua previsão mensal a expectativa de área plantada para a soja em 1,2%, o suficiente para apontar um novo recorde para a semeadura no principal Estado produtor da oleaginosa, de 6,22 milhões de hectares, ligeiramente acima da temporada 2009/10 (6,21 milhões de hectares).

"No último número, não tínhamos conseguido avaliar se teríamos áreas novas. Agora estamos vendo que realmente existem áreas novas de soja", afirmou Otávio Celidonio, superintendente do Imea.

Ele explicou que a soja está avançando em áreas de pastagens, principalmente, num ano em que os preços estão apenas alguns dólares abaixo dos recordes de 2008 na bolsa de Chicago.

Com tal previsão de área, o Mato Grosso deverá colher 18,66 milhões de toneladas de soja, ainda abaixo do recorde de 18,8 milhões de toneladas de 09/10, devido a uma produtividade prevista para 10/11 ligeiramente menor.

O Estado começou o plantio mais tarde este ano, com uma maior demora para a chegada das chuvas, mas já está próximo de finalizar a semeadura.

Entretanto, a colheita em janeiro, período de início dos trabalhos, será bem menor em relação ao ano passado, com o início mais lento dos trabalhos no campo. O Imea estima que a oferta de soja em Mato Grosso será de 1 milhão de toneladas ao final de janeiro, contra 4 milhões de toneladas no mesmo mês do ano passado, o que deve ter implicações no mercado.

Se os preços pagos aos produtores serão melhores em relação a 09/10, a margem do agricultor também será superior em 10/11, já que o Estado está semeando esta safra com um custo 18% menor em comparação à temporada passada, segundo Celidonio.

O Imea também elevou a previsão de plantio de algodão em relação à previsão do mês passado, mas o avanço na estimativa mensal, de 11,3%, foi bem maior do que o projetado para a soja.

O Estado, também o maior produtor da pluma no País, deverá plantar 595 mil hectares de algodão, ante 419,2 mil hectares na temporada passada, alta de 42%.

O algodão atingiu no mês passado o maior patamar da história na bolsa de Nova York, a US$ 1,5723 por libra-peso, num mercado fortemente demandado.

O plantio de algodão no Estado só deve se intensificar na segunda quinzena de dezembro, e o Imea não tem previsão de produção da pluma.

Mas informou que, diferentemente do ano passado, a primeira safra responderá por cerca de 60% da área total semeada, contra menos de 40% em 09/10, quando os cotonicultores se dedicaram mais à segunda safra.

Para o milho segunda safra, entretanto, o Imea estima uma redução de 9% em comparação à temporada passada, devido a um plantio de soja mais atrasado este ano, o que diminui a janela para a semeadura do cereal em período ideal.

O Imea estima uma área de 1,76 milhão de hectares para o milho safrinha.

"Até o número do milho, se respeitarem a janela, deve ter redução, mas falar que vão respeitar... o preço pode estar melhor, e o pessoal entra plantando fora do período ideal", disse o superintendente.

Fonte: O Documento