Notícias


Conab venderá 317,6 mil t de milho para conter preços

Publicada em 16-11-2010


A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) ofertará em duas operações na próxima quinta-feira um total de 317,67 mil t de milho dos estoques públicos, informou o Ministério da Agricultura nesta sexta-feira.

As vendas dos estoques governamentais, uma reivindicação da indústria de carnes, especialmente do setor avícola, ocorrem no momento em que o milho é negociado no mercado interno no maior patamar desde julho de 2008 (valor nominal), a R$ 28,67 por saca, segundo levantamento do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea, base Campinas-SP).

Na próxima semana, o ministro da Agricultura, Wagner Rossi, deverá se reunir com seu colega da Fazenda, Guido Mantega, para discutir novas medidas relacionadas a venda dos estoques.

Entre elas estão a realização de leilões de VEP (Valor de Escoamento de Produto), que oferta à indústria compradora do produto um preço no leilão que lhe permita arcar com os custos do transporte do grão para o destino determinado pela Conab.

Mas as operações previstas para a semana que vem, em um volume confirmado pequeno perto das mais de 5 milhões de t que o governo tem em estoques, serão do tipo conhecido como venda direta, e não VEP, segundo o ministério.

Com as vendas de milho dos estoques públicos, o governo pode aliviar os custos das indústrias e evitar pressões inflacionárias, diante de declarações do presidente da União Brasileira de Avicultura (Ubabef), Francisco Turra, de que o setor pode ser obrigado a repassar os gastos adicionais para os preços das carnes.

"Sem a ação imediata do governo para conter o aumento dos custos de produção, o repasse para o consumidor será inevitável e poderá gerar inflação", declarou ele em comunicado nesta semana.

Segundo Turra, a intervenção governamental é a única forma de conter o encarecimento dos insumos. Para Turra, há milho no mercado em quantidades suficientes, mas há agentes especulando com a alta da commodity.

"Os estoques hoje estão nas mãos de intermediários e de poucos", disse ele, observando que não são os produtores que estariam se beneficiando desse aumento do preço.

As notícias sobre as vendas do governo, embora ainda sem detalhes sobre como serão os leilões de VEP, ajudaram frear a alta dos preços no mercado interno, notou a consultoria AgraFNP em relatório diário, acrescentando que as cotações se estabilizaram na quinta-feira nas principais praças.

Fonte: A Tribuna News