Notícias


Nova estimativa de produção

Publicada em 09-08-2007


IBGE prevê safra 2007 de grãos em 133,4 milhões de toneladas

A sétima estimativa da safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas, para 2007, realizada pelo Levantamento Sistemático de Produção Agrícola (LSPA) prevê uma produção de 133,4 milhões de toneladas, maior 14,0% que a informada em 2006 (117,0 milhões de toneladas) e superior em apenas 445 toneladas à estimativa do mês anterior. A soja (58,2 milhões de toneladas) e o milho 1 e 2 safras (51,7 milhões de toneladas) representam 82,5% do total produzido de cereais, leguminosas e oleaginosas. Comparativamente à safra anterior, estes produtos apresentam acréscimos de 11,2% e 21,3%, respectivamente.

O comparativo da área cultivada nesta safra, em relação à colhida na anterior, é inferior 0,4% situando-se em 45,4 milhões de hectares. As culturas que registram as maiores áreas plantadas, em 2007, são a soja (20,6 milhões de hectares) e o milho 1 e 2 safras (13,7 milhões de hectares). O volume de cereais, leguminosas e oleaginosas está assim distribuída nas Grandes Regiões: Região Sul, 60,1 milhões de toneladas Centro-Oeste, 44,2 milhões de toneladas Sudeste, 15,9 milhões de toneladas Nordeste, 10,2 milhões de toneladas e Norte, 3,0 milhões de toneladas. Com base nos levantamentos realizados em julho, destacam-se as variações nas estimativas de produção, em relação a junho, dos seguintes produtos: aveia em grão (+1,6%), batata-inglesa 2 safra (-3,4%), cevada em grão 1 safra (-2,2%), feijão em grão 2 safra (-5,5%), mamona em baga (-15,5%) e trigo em grão(+3,6%). Feijão em 2 safra sofre queda de 5,5% na produção.

Para o feijão em grão 2 safra a queda de 5,5% na produção foi motivada pelas reduções observadas, especialmente, na Paraíba (31,9%) em face da estiagem e na Bahia (10,1%) devido a substituição do produto pelo milho, notadamente, nos municípios de Adustina e Paripiranga. Essa troca reflete a expectativa de bons preços do produto no mercado internacional, como conseqüência da diminuição da oferta Norte Americana, tendo em vista que a destinação de parte da produção de milho dos EUA será voltada para atender à demanda interna da produção de etanol. Mamona Quanto à mamona em baga a diminuição de 15,5% na safra nacional deve-se à forte estiagem verificada na Bahia (-19,1%), principal centro produtor. Trigo tem crescimento de 3,6% na safra nacional.

Finalmente, para o trigo, a atual estimativa de produção de 4,1 milhões de toneladas registra um crescimento de 3,6%. Esse aumento é resultado de reavaliações na área por ocasião da conclusão do plantio no Rio Grande do Sul neste período. Alertamos, entretanto, que a ocorrência de geadas no Paraná tem determinado danos às lavouras que serão avaliados nos próximos levantamentos. Dezessete produtos apresentam variação positiva em relação à safra 2006 Dentre os vinte cinco produtos analisados, dezessete apresentam variação positiva na estimativa de produção em relação ao ano anterior: algodão herbáceo em caroço (30,5%), amendoim em casca 2 safra (19,0%), batata-inglesa 1 safra (22,6%), batata-inglesa 2 safra (4,4%), cacau em amêndoa (14,7%), cana-de-açúcar (12,9%), cebola (4,2%), cevada em grão (38,2%), feijão em grão 1 safra (15,9%), laranja (1,1%), mamona em baga (2,4%), mandioca (2,9%), milho em grão 1 safra (15,2%), milho em grão 2 safra (38,3%), soja em grão (11,2%), trigo em grão (66,3%) e triticale (4,0%).

Com variação negativa: amendoim em casca 1 safra (10,2%), arroz em casca (4,0%), aveia em grão (36,1%), batata-inglesa 3 safra (2,1%), café em grão (15,0%), feijão em grão 2 safra (17,5%) e sorgo em grão (15,4%). Safras de Milho e soja têm boa recuperação Com a colheita dos produtos da safra de verão, praticamente encerrada, nos grandes centros produtores de grãos do país, encontram-se em processo de acompanhamento as culturas de segunda e terceira safras e as de inverno. Destaca-se na presente safra a boa recuperação dos principais cultivos de verão (milho 1 safra e soja) que enfrentaram em safras anteriores sérios problemas de ordem climática. Os produtos da safra de inverno, até o momento apresentam boas perspectivas, ressaltando-se, porém, que o quadro não é definitivo tendo vista a grande influencia do clima, como geadas tardias e/ou chuvas na colheita, até o final do ciclo dessas culturas. As informações são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Fonte: Retirado do Portal Folha MT