Notícias


Incentivo ao plantio

Publicada em 15-10-2010


Produtores de milho dos Estados Unidos, que já estavam satisfeitos com a safra e com o preço do grão, receberam outra boa notícia. O governo norte-americano decidiu aumentar o percentual do etanol de milho na mistura da gasolina.

No chamado cinturão do milho, no meio oeste americano, é época de colheita. Alguns estados como Iowa sofreram um pouco este ano com o clima. Mas em vários outros, como Minnesota, a colheita é farta. Nesses estados, o que se espera é safra recorde.

“A qualidade do milho está bem melhor do que nos últimos dois anos”, contou o agricultor de Nebraska.

A previsão é de que cerca de 322 milhões de toneladas de milho sejam colhidas nos Estados Unidos este ano. É uma produção 3,4% menor do que em 2009. Mas que, mesmo assim, está sendo muito festejada pelos agricultores americanos. O motivo é simples: o preço do grão está em alta no mercado internacional.

Esta semana, na Bolsa de Chicago, o buchel, a saca americana, passou dos US$ 5,80. Um preço 50% maior do que em outubro do ano passado.

“Estamos com ótimo rendimento e preços excelentes. Juntando as duas coisas, devemos ter um bom ano”, explicou o representante de uma cooperativa em Minnesota.

E uma notícia que não vem do campo também está deixando os produtores americanos ainda mais contentes.

A Agência de Proteção Ambiental, que regula os limites de emissão de poluentes pelos automóveis, decidiu autorizara a adição de até 15% de etanol na gasolina comum. São 50% a mais do permitido. Como quase todo etanol dos Estados Unidos, a demanda pelo grão deve aumentar. Isso significa que de cada cem sacas de milho produzidas no campo, pelo menos 40 vão ajudar a movimentar os automóveis.

Fonte: Globo Rural