Notícias


Produção de apicultura é base para mais de 100 famílias em Roraima

Publicada em 08-12-2009


Com o objetivo de incentivar a criação racional de abelhas, o ciclo de palestras promovido pelo Sebrae e Senar na Expoferr 2009, reuniu cerca de 40 apicultores para tratar especificamente sobre o assunto esta semana no Parque Dandãezinho.

A criação racional de abelhas é o estilo de criação que permite depositar as colméias em caixas e controlar o processo reprodutor e produtor do mel. O padrão de higiene é diferenciado e a comercialização do produto se torna mais fácil com este procedimento.

Várias comunidades que produzem mel no estado estiveram presentes durante a programação da 38ª Expoferr e participaram da palestra ministrada pelo consultor Paulinho Cabral, da Secretaria de Agricultura do Estado, especializado em Agronegócios e Agroambiente.

O curso proporcionou aos produtores o conhecimento técnico de como saber lidar com as espécies que predominam na região e principalmente os cuidados e precauções para que a colméia renda na produção do sumo.

De acordo com o palestrante, o ferrão da abelha pode ser aplicado em locais que tenham reumatismo. Destacou que o veneno ou remédio, previne o desenvolvimento da doença e fortalece as células. “Além de ser utilizado como adoçante, o mel sempre foi reconhecido devido às suas propriedades terapêuticas”, ressaltou.

Paulinho disse ainda que crianças alimentadas com mel não sofrem de cólicas, pois o mel é absorvido imediatamente, não possibilitando o ataque das bactérias intestinais e formação de gases, como acontece quando a alimentação é feita com açúcar de cana. O mel é indicado ainda no tratamento de anemias, como regulador intestinal e no tratamento de doenças respiratórias. Uma propriedade plenamente reconhecida do mel é seu poder anti-séptico que unido a outros benefícios, fazem que o mel seja um excelente cicatrizante e protetor da pele, sendo muito empregado topicamente em queimaduras e feridas.

Cabral afirmou que existem dezenas de variedades de mel de abelhas e marimbondos que podem ser obtidos: segundo a floração, os terrenos de obtenção ou ainda segundo as técnicas de preparação. Dessa forma variam em cor, aroma e sabor. Diferenciam-se, assim, na cor, indo do branco incolor, amarelo ao castanho principalmente.

A produtora rual Sandra Maria, do municipio de Cantá, veio com um grupo de sua comunidade e se inscreveu na palestra com interesse de melhorar as técnicas e saber como pode vender seu mel para demais municipios. “Nós que moramos no interior temos dificuldade para revender em outros lugares”, disse.

Outra característica marcante vários tipos de mel é a consistência líquida ou endurecida que poderá apresentar quando armazenado em recipiente, sendo de igual qualidade sob esse aspecto.

Além do uso alimetar, de um modo geral, o mel é constituído, na sua maior parte (cerca de 75%), por hidratos de carbono, por açúcares simples (glicose e frutose). O mel é também composto por água (cerca de 20%), por minerais (cálcio, cobre, ferro, magnésio, fósforo, potássio, entre outros), por cerca de metade dos aminoácidos existentes, por ácidos orgânicos (ácido acético, ácido cítrico, entre outros) e por vitaminas do complexo B, por vitamina C, D e E. O mel possui ainda um teor considerável de antioxidantes (flavonóides e fenólicos).

Mel é alimento e remédio

O mel é um alimento energético de alta qualidade. A ingestão de mel permite uma alimentação imediata e intensiva de todo o sistema muscular, especialmente os músculos do coração, através da glicose invertida.

A substituição do açúcar refinado pelo mel é uma boa pedida para utilizar na culinária.

Fonte: BVNews