Notícias


Frango, ovo, milho e inflação

Publicada em 10-11-2009


Como o Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) da Fundação Getúlio Vargas registrou deflação de 0,04% em outubro, a variação acumulada desde a época de implantação do real, em 2004, permanece aquém dos 300% registrados pela última vez em maio deste ano.
Mas isso, naturalmente, em nada “refresca” a situação dos produtores de frango, de ovos e, inclusive, de milho, pois os preços por eles recebidos continuam apresentando uma variação visivelmente inferior à do IGP-DI.
Assim, o milho registra, no período, variação de 167,62%, estando quase 131 pontos percentuais abaixo da inflação. Já o preço recebido pelo frango vivo apresentou, até outubro, variação de 150%, ou seja, praticamente a metade do IGP-DI acumulado nestes últimos 15 anos.
Bem pior, no entanto, é a situação enfrentada pelo setor de postura, já que os preços do ovo, na vigência do real, evoluíram apenas 62,69%, cerca de 236 pontos percentuais aquém do IGP-DI. Para melhor demonstrar o que isso representa, basta citar que, acompanhando o índice da FGV, o produto teria sido comercializado em outubro por cerca de R$76,80/caixa. No entanto, alcançou apenas 40% desse valor.
Detalhe que não pode ser ignorado: está se falando aqui, em relação ao ovo, dos preços no atacado da cidade de São Paulo. Ou seja: no campo, a situação do produtor é muitíssimo pior.

Fonte: Aviste