Notícias


Chuva atrasa plantio de soja e Paraná alerta para riscos no milho safrinha

Publicada em 23-10-2009


As chuvas de outubro estão atrasando o plantio de soja no Estado do Paraná. Embora admitam que a oleaginosa em fase inicial de semeadura não corre risco de perda de produtividade, cooperativas do norte e do oeste do Estado alertam que as chuvas podem ter influência sobre o milho safrinha, plantado imediatamente após a colheita da soja.

– Em muitas regiões, o produtor deverá colher a soja mais tarde que o normal e se plantar milho safrinha correrá riscos, uma vez que o plantio tende a ser feito no limite do calendário de zoneamento – comenta Itacir Afonso Tosin, agrônomo da Coopavel, de Cascavel, no oeste paranaense.

Itacir estima que o plantio de soja na área de ação da Cooperativa esteja entre 30% a 35% contra 70% do ano passado em igual período.

– Tem chovido direto e com isso o plantio se mostra irregular. Algumas áreas estão com 70% plantados, outras com 10%, mas também têm aquelas em que o plantio nem começou – relata Tosin.

Ele cita o caso de Corbélia, importante região produtora sob ação da Coopavel, onde os produtores não conseguem plantar nada desde o dia 11 de outubro. De acordo com o agrônomo, o que mais preocupa é a frequência das chuvas.

– São precipitações constantes. Tivemos dias que choveu até 100mm – observa.

Situação semelhante enfrenta a Cocamar, de Maringá, no norte do Paraná, onde o plantio também se mostra atrasado. De acordo com fonte técnica, a área semeada com soja é inferior a 10%, quando o ano passado em igual período os produtores tinham plantado em torno de 30% a 40%.
  
Em Curitiba, o Departamento de Economia Rural-DERAL, órgão vinculado à
Secretaria de Agricultura do Paraná, já admite atraso no plantio em âmbito estadual. Um levantamento do Departamento divulgado no início dessa semana indicou plantio de soja de 13% para o Estado contra 22% de igual período do ano passado.

Por regiões, o desempenho é mais significativo no oeste do Estado (em Toledo e Cascavel), com 50% e 40% da área semeados, respectivamente, até essa quinta, dia 22. A segunda região de melhor desempenho é Campo Mourão, centro-oeste do Estado, com 13% plantados. Já o norte paranaense aparece com plantio de 1% em Apucarana e de 5% em Maringá.
 
– Não temos maiores problemas com a soja nesse momento, mas as consequências desse atraso recairão sobre o milho safrinha. Quanto maior o atraso no plantio de soja, maior o atraso no milho safrinha e, portanto, maior o risco – observa Otmar Hubner, da Coordenadoria Técnica.

Ele lembra que na década de 90, o Paraná plantava menos de 20% da área de soja em outubro. Hoje, a tendência é fechar outubro com plantio entre 40% e 45% em função do milho safrinha.

O Deral também mostra que das lavouras semeadas, cerca de 49% estão em germinação, 34% em desenvolvimento vegetativo e 17% em fase de floração. As condições das lavouras de soja oscilam entre boas (85%) e médias (15%).

 
AGÊNCIA SAFRAS