Notícias


Agricultura cresce 31,76%

Publicada em 19-10-2009


Valor da produção da agricultura em Mato Grosso do Sul em 2008 foi 31,76% maior que a de 2007. Os dados da PAM (Pesquisa Agrícola Municipal), divulgada na sexta-feira pelo IBGE. O crescimento é melhor que o do país, que cresceu 27,3% de 2007 para 2008.
O valor da produção em MS foi de R$ 4,790 bilhões, contra R$ 3,772 bilhões em 2007. O incremento de dinheiro no mercado do Estado com o crescimento da produção agrícola e aumento de preço em 2008 foi de R$ 1,198 bilhão.
O produto que mais rende dinheiro para MS é a soja. Em 2008 o faturamento com a cultura foi de R$ 2,846 bilhões, mais da metade do total do Estado. O crescimento no faturamento com soja foi de 33,42%. A segunda cultura em expressão econômica é o milho, cujo faturamento foi de 976,338 milhões. O crescimento em relação aos R$ 731,764 milhões de 2007 foi idêntico ao da soja.
A terceira cultura em 2008 foi a cana-de-açúcar, com valor da produção de R$ 649,569 milhões. O crescimento em relação aos R$ 482,739 milhões de 2007 ficou em 34,55%. Outras culturas importantes são o algodão, com R$ 180,690 milhões, o arroz, com 102,002 milhões e a mandioca, com R$ 80,573 milhões.

BRASIL

O valor da produção da agricultura cresceu 27,3%, em 2008 frente a 2007, impulsionado principalmente pelo aumento dos preços da soja, milho, feijão e arroz, bem como pelo aumento da produção de cana-de-açúcar, café e trigo. Em valores correntes, a produção alcançou R$ 148,4 bilhões de reais, um acréscimo de R$ 31,4 bilhões.
Em 2008, as 64 culturas investigadas pela pesquisa Produção Agrícola Municipal do IBGE ocupavam, juntas, uma área de 65.338.804 hectares. A área total plantada apresentou um crescimento de 4,8%, o que representou a incorporação de quase 3,0 milhões de hectares. Em 2008, a soja foi responsável por 26,1% do valor da produção agrícola brasileira, seguida pelo milho (14,0%) e cana-de-açúcar (13,9%).
A produção nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas1 foi recorde em 2008, atingindo 145,4 milhões de toneladas, um acréscimo de 9,1% em relação ao ano anterior. Destaque para a produção nacional do milho em grão, que foi recorde em 2008. Com 15,6% de participação, São Paulo liderou a distribuição estadual dos valores da produção em 2008, seguido pelo Paraná, que respondeu por 14,8% da produção nacional. O município de Sorriso (MT) é o maior produtor nacional de milho e soja.
Os bons preços alcançados pela soja e pelo milho no mercado internacional, devido à menor oferta, proporcionaram um aumento de área plantada de cerca de 500 mil hectares de soja e 736 mil hectares de milho, em 2008 frente a 2007. O clima favoreceu o desenvolvimento das culturas, especialmente no caso do milho, que registrou um incremento de 7,8% em seu rendimento médio. Em 2008, a produção da soja foi de 59,2 milhões de toneladas, enquanto a do milho foi de 58,9 milhões de toneladas.
O crescimento do milho nos últimos dois anos deveu-se ao aumento da demanda pelo produto no mercado internacional, já que os Estados Unidos, maior produtor e exportador mundial do grão, destinou boa parte de sua produção para fabricação de etanol, o que conseqüentemente elevou o preço do milho no mercado.
Em 2008, a soja foi responsável por 26,1% do valor da produção agrícola brasileira. Isto ocorreu devido aos bons preços alcançados pelo produto no mercado internacional, reflexo do aumento do consumo, da política adotada por alguns países exportadores, que aumentaram as tarifas de exportação e da redução da área plantada de soja nos EUA, que destinou uma maior parte de suas terras para a produção de milho.
No Brasil, o milho foi responsável por 14,0% do valor da produção, seguido de perto pela cana-de-açúcar, que contribuiu com 13,9%. Enquanto o milho obteve boa produção (cresceu 13,1%) e bons preços, o que consequentemente aumentou o seu valor de produção, a cana-de-açúcar teve um crescimento de 17,4% na sua produção, porém gerou um impacto de apenas 8,2% no valor da produção, ou seja, os produtores de cana-de-açúcar receberam menos pelo produto quando comparado com o ano de 2007. Soja, milho e cana-de-açúcar foram responsáveis por 54,0% do valor da produção agrícola do país em 2008.
A cana-de-açúcar, que teve uma expansão de 1,1 milhão de hectares (15,9%), foi a cultura que mais cresceu em valores absolutos em 2008. Este crescimento é fruto de uma série de novos investimentos que começam a ser realizados no p aís, nos últimos 5 anos, com o objetivo de abastecer o mercado nacional e internacional com etanol.
O aumento na produção de arroz (9,2%) e feijão (9,0%) resultou de ganhos de produtividade das lavouras (aporte de insumos e tecnologia), já que a área plantada permaneceu estável. Alguns importantes estados produtores sofreram com a falta de chuvas, na ocasião do plantio, o que elevou ainda mais a pressão sobre os preços desses produtos.

RIO BRILHANTE

A produção brasileira de cana-de-açúcar atingiu mais um recorde em 2008, com 645.300.182 toneladas, refletindo um aumento de 17,4% em comparação a 2007. A expansão da área colhida em mais de 1,0 milhão de hectares (16,5%), é reflexo dos novos projetos que estão sendo implantados no país, com o objetivo de abastecer o mercado nacional e internacional com etanol.
São Paulo continua sendo o maior produtor de cana-de-açúcar, onde foram produzidas 59,8% da produção brasileira. Paraná e Minas Gerais, responsáveis por 7,9% e 7,4% da produção nacional, respectivamente, também tiveram aumento na produção de 11,7% e 23,7%.
O município de Morro Agudo (SP) continua sendo o maior produtor nacional, com 10,3 milhões de toneladas. Rio Brilhante, ratificando a expansão no Mato Grosso do Sul, está em segundo lugar. O município sul-mato-grossense foi responsável por 29,3% da produção estadual.

Fonte: Diário MS