Notícias


Algumas regiões de milho do Paraná têm excesso de chuvas

Publicada em 14-07-2009


As lavouras de milho safrinha em algumas regiões do Paraná começam a sofrer pelo excesso de chuvas, sendo a preocupação maior com a quantidade de dias de precipitação do que com o volume acumulado. A afirmação é do consultor Paulo Etchichury, sócio diretor da Somar Meteorologia.
"A última semana de junho já havia sido chuvosa, o que se agravou com mais oito dias de chuvas nos dez primeiros dias de julho", disse ele. O volume acumulado de chuvas de julho mostra totais entre 50 e 100 milímetros sobre as áreas produtoras de milho do Paraná, Mato Grosso do Sul e São Paulo.

Os levantamento da Somar mostram que em função das chuvas das últimas semanas, concentradas entre o Rio Grande do Sul e o sul do Paraná, as condições de água disponível no solo nessa região chega a 100%. Por outro lado, no norte do Paraná, no sul de Mato Grosso do Sul e em São Paulo os índices de umidade do solo variam entre 60% e 80%. Já em Mato Grosso, Goiás e em Minas Gerais, que no inverno atravessam o seu período seco, neste início de julho se observa uma queda gradual nos índices de água disponível no solo.

Paulo Etchichury afirmou que para o restante de julho as chuvas diminuem um pouco em relação ao observado nas últimas duas semanas, o que deve favorecer a fase final das lavouras de milho safrinha do Paraná e de Mato Grosso do Sul. Em Mato Grosso, Goiás e em Minas Gerais o mês de julho promete ser totalmente seco.

Fonte: Últimas Notícias