Notícias


Agroenergia

Publicada em 06-11-2008


 A importância do sistema produtivo com foco também na produção de biocombustíveis deverá alterar e alavancar o potencial das pequenas unidades rurais gaúchas, fortalecendo ainda mais a produção de alimentos. A afirmação foi feita hoje, 4 de novembro, durante a abertura do Simpósio Estadual de Agroenergia e 2 Reunião Técnica Anual de Agroenergia-RS.
O evento é promovido pela Embrapa Clima Temperado, em parceria com a Emater/RS/Ascar, Fepagro e o Sistema Fiergs, até a próxima quinta, 6 de novembro, na sede da entidade, em Porto Alegre.

O vice-presidente do Centro das Indústrias do Rio Grande do Sul (CIERGS), Antônio Roso, destacou a importância de se buscar caminhos para o desenvolvimento. "A agroenergia é um dos segmentos que compõe a nova economia do Rio Grande do Sul que reúne setores de ponta voltados para o futuro de nosso Estado e do Brasil", conclui.

A previsão de déficit energético e de aumento da demanda por biocombustíveis, combinadas com a atual crise financeira, também pautou o discurso do diretor-executivo da Embrapa, José Geraldo Eugênio de Franz. Segundo ele, o fato da produção de grãos ter saltado de 78 milhões de toneladas para 143,9 milhões de toneladas, em dez anos, salvou o país do caos e da inadimplência. "O agronegócio tem sustentado a economia nacional. Nos próximos dez anos temos o dever de atingir 300 milhões de toneladas de grãos, em prol da economia, do meio ambiente e do desenvolvimento social do Brasil. O mundo necessita que alguém produza alimentos", afirmou. "O Estado precisa ocupar este espaço", complementou o presidente da Emater/RS/Ascar, Mário Augusto Ribas.

Já o diretor-presidente da Fundação de Estadual de Pesquisa Agropecuária (Fepagro), Benami Bacaltchuk, destacou a necessidade de maior atenção do Rio Grande do Sul em relação ao processamento da cana-de-açúcar para ampliar o uso na indústria. Segundo o Secretário de Ciência e Tecnologia do Estado, Artur Lorentz, grandes grupos estrangeiros estão investindo na energia térmica a partir do bagaço da cana no país. Também anunciou que está estruturando o Programa Estadual de Biogás, pioneiro no país, que pretende transformar dejetos de suínos em gás biometano.

As informações partem da assessoria de imprensa da Embrapa.