Notícias


Economia internacional

Publicada em 14-10-2008


A China importou 28,7 milhões de t de soja nos primeiros nove meses do ano, um alta de 32,3% em relação ao mesmo período de 2007, de acordo com dados preliminares da alfândega divulgados nesta segunda-feira. Os dados incluem importações recordes de cerca de 4,14 milhões de t em setembro, a máxima para um só mês, considerando que as compras chinesas nos primeiros oito meses do ano foram de 24,56 milhões de t. A alfândega deve divulgar dados específicos de setembro na terça-feira.

As importações registradas em setembro podem ter sido beneficiadas de alguns carregamentos inicialmente programados para agosto.

O Ministério do Comércio previa importações de soja em setembro de 2,86 milhões de t, o que significaria uma queda de 25% em relação ao recorde de agosto, de 3,83 milhões de t, com esmagadores acreditando em uma redução nas importações em meio ao fraco mercado de óleo de soja.

Mas a estimativa do ministério, divulgada duas vezes ao mês com base em relatórios de compradores, falha em detectar todos os embarques.

Os preços da soja em Chicago e na bolsa de Dalian têm caído nas últimas semanas, à medida que a crise financeira contamina os mercados de commodities.

No entanto, analistas afirmam que a demanda chinesa permanecerá robusta, e os preços devem se recuperar, com as importações sendo impulsionadas pelo declínio nos preços dos fretes, que resultou em parte de uma demanda mais lenta por grãos e minério de ferro.

Um dos principais fornecedores de soja para a China é o Brasil, o segundo exportador mundial.

Reuters