Notícias


Conab

Publicada em 09-10-2008


A safra de soja 2008/09 do Brasil deverá atingir um recorde, em um intervalo de 60,1 milhões de t a 61,27 milhões de t, mas a produção de milho terá queda na comparação com 2007/08, estimou nesta quarta-feira a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

A pesquisa da Conab aponta um aumento de até 3,2% na área plantada de soja, estimada entre 21,6 milhões e 22 milhões de hectares, contra 21,3 milhões da safra anterior, quando o Brasil produziu 60 milhões de t, de acordo com o primeiro levantamento da estatal para a nova temporada.

"Apesar da queda dos preços e do aumento dos custos de produção, o agricultor eficiente ainda vislumbra a possibilidade de bons resultados. Isso mantém uma nova esperança", disse o presidente da Conab, Wagner Rossi, em um comunicado.

O levantamento da estatal ligada ao Ministério da Agricultura foi realizado entre 14 e 20 de setembro, antes do agravamento da crise de crédito. Naquela época, a cotação da soja em Chicago estava cerca de US$ 3 por bushel acima do preço atual.

Mas a pesquisa do governo já detectou problemas para o milho , cujos preços também caíram nesse período.

A Conab apontou uma redução na produção total de milho do Brasil em 08/09, estimando a safra em um intervalo de 55 milhões a 56 milhões de t, contra 58,6 milhões de t em 07/08.

A área plantada com milho na nova temporada poderá cair até 1,7%, para 14,4 milhões de hectares, segundo a Conab. Analistas afirmaram recentemente que o cereal perderá área para a soja, em um ambiente de aperto de crédito.

De acordo com consultores, a soja só não deverá perder área na safra 08/09 porque será plantada em áreas de milho, especialmente no Sul do Brasil.

O plantio de soja já começou em Mato Grosso, que costuma semear antes dos outros Estados, e o de milho também está em andamento no Paraná, o maior produtor brasileiro do cereal.

A Conab aponta um aumento de área de soja de até 3% em Mato Grosso, o maior produtor brasileiro da oleaginosa.

A estatal também prevê aumento de até 3% na área de soja no Paraná, o segundo produtor brasileiro, mas mostra uma queda no plantio de milho no Estado de até 3,3%.

O plantio de milho exige mais investimentos em fertilizantes, que respondem pela maior parte do custo de produção, e por isso agricultores tendem a cultivar mais soja neste momento, segundo analistas.


Algodão tem queda

Em sua primeira estimativa para a safra de algodão, a Conab também apontou redução na área plantada, especialmente em Mato Grosso, onde os produtores tendem a preferir plantar soja em campos adubados antes dedicados à pluma.

Considerando que os custos de algodão são mais altos que os da soja, a safra brasileira da pluma foi estimada em um intervalo de 1,42 milhão a 1,52 milhão de t, contra 1,6 milhão de t em 07/08.

A Conab prevê que a área plantada com algodão poderá cair até 10% no País, com o Mato Grosso, o maior produtor brasileiro da pluma, reduzindo o plantio em até 14%.

Mesmo assim, a produção total de grãos e oleaginosas no Brasil, se o clima favorecer, poderia atingir um novo recorde de 144,55 milhões de t em 2008/09, contra 143,8 milhões de t em 07/08.

No entanto, o intervalo inferior da previsão da Conab indica 142 milhões de t, um número menor que o de 07/08.


Trigo em alta

A Conab ainda elevou a estimativa de colheita de trigo deste ano para 5,8 milhões de t, contra 5,4 milhões na estimativa de setembro.

A colheita do cereal, que deverá superar a do ano passado em mais de 50% - em 2007 o Brasil colheu 3,8 milhões de t - já ocorre nos Estados produtores.

A Conab também vê possibilidade de a produção de arroz ter ligeiro crescimento em 08/09, para até 12,25 milhões de t, contra 12 milhões em 07/08.

Já o feijão primeira safra deve ter um crescimento de área variando entre 8,6% e 11,6%, que pode resultar em uma colheita de até 1,43 milhão de t, contra 1,24 milhão de t em 07/08.

O feijão, o arroz e o trigo tiveram seus preços elevados no primeiro semestre, em meio à menor oferta dos produtos, o que deve se refletir no aumento da safra em 08/09.

Reuters