Notícias


Soja ou milho?

Publicada em 06-10-2008


A lavoura de soja garante mais retorno aos produtores do que a do milho. Cálculos do Centro de Estudos em Economia Aplicada (Cepea), da Faculdade de Agronomia Luiz de Queiroz, indicam que de cada R$ 1 investidos na oleaginosa, o agricultor tem R$ 0,48 de retorno; já nas lavoura de milho de cada R$ 1 aplicado, apenas R$ 0,20 retorna ao bolso dos produtores. As contas são para custo operacional, o que significa, por exemplo, que não estão inclusos a depreciação do maquinário e das terras ou do arrendamento (se for o caso).

O custo operacional para o plantio de soja teve acréscimo de 58,7% nesta safra, comparando com a anterior. O índice levou em conta o reajuste de 35,5% do custo de sementes e de 62% do glifosato (utilizado na dessecação pré-plantio). De forma geral fungicidas, inseticidas e herbicidas até ficaram mais baratos. ‘‘Caiu o poder de compra dos produtores, o que pode levar a uma demanda reprimida por fertilizantes na safra 2009/10. Com isso, o produtor pode ser tentado a fazer uma ‘economia burra’ e não investir em fertilizantes, o que poderá provocar queda na produtividade’’, argumenta Mauro Osaki, pesquisador do Cepea.

O custo operacional para produção de milho subiu 18,4% no último ano puxado, principalmente, pelo aumento de custos de fertilizantes e sementes. Neste caso o problema ocorre também porque houve redução da cotação da commodity. ‘‘Os produtores têm que rezar para o clima colaborar para conseguirem algum retorno’’, diz Osaki. Já cálculos da Corol indicam que o custo de plantio de um hectare de milho é de R$ 1.936,78. Considerando a produtividade média da região de 115,70 sacas por hectare, o custo de produção de uma saca é de R$ 16,74.

‘‘Com a saca na casa dos R$ 19, o custo de produção quase empata’’, comenta Demétrio Nasu, da área de Planejamento da Corol. Esta conta está mais favorável à produção da soja. O custo de um hectare é de R$ 1.244,43. Considerando uma produtividade média de 43,39 sacas por hectare, cada saca sairia por R$ 28,68. Com a cotação da saca na casa dos R$ 45, o lucro seria de R$ 18 por saca. Na área de abrangência da cooperativa – que compreende 34 municípios – a estimativa é que seja registrada uma queda de 6% a 7% no plantio de milho.

O gerente de Defensivos e Insumo da Cooperativa Integrada, Seisuke Ito, acrescenta que os preços do milho caíram 16% com relação à safra passada, enquanto os custos dos adubos dobraram, os defensivos ficaram entre 10% e 15% mais caros e os preços dos glifosatos subiram 50%. ‘‘O plantio de soja é mais confortável porque a cotação aumentou, em média, 20%. Mas temos dois tipos de produtores, os que fazem rotação de cultura e outros que fazem opção pelos preços’’, afirma. 

Fonte: Folha de Londrina