Notícias


Grãos

Publicada em 30-09-2008


            As estimativas divulgadas ontem pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) confirmam a colheita recorde de grãos na safra agrícola brasileira. O 12º levantamento da Conab para o ano safra (julho de 2007 a junho de 2008) estima a produção em 143,87 milhões de toneladas, volume 9,2% superior ao registrado no ciclo anterior. A Conab observa, inclusive, que o resultado ainda poderá ser alterado, com a colheita do milho safrinha do Nordeste, que será finalizada neste mês.

            A estimativa de agosto do IBGE, que leva em conta a produção no ano civil (janeiro a dezembro de 2008) estima a safra em 145,1 milhões de toneladas, volume 9% superior ao produzido no ano passado, que foi de 133,1 milhões de toneladas. O levantamento do IBGE de agosto aumentou 4.410 toneladas em relação à previsão de julho. Os técnicos explicam que o pequeno crescimento se deve a reajustes das culturas de verão, com a conclusão de colheita, reavaliações do sorgo e milho segunda safra e de acréscimos nas estimativas de plantio do feijão terceira safra. As culturas de inverno registraram pequenos decréscimos.

            De acordo com o presidente da Conab, Wagner Rossi, este panorama consolida o agronegócio como um dos principais protagonistas da economia brasileira. "Esses avanços são fruto da capacidade empreendedora do produtor brasileiro e da política de apoio consistente do governo à agricultura", explica.

            Milho, soja, trigo - Com duas colheitas no ano, o milho participou com 58,59 milhões de toneladas ou 14% (7,21 milhões de toneladas) a mais que na safra passada. Já a soja cresceu 2,8%, o equivalente a 1,66 milhões de toneladas. Outro grão em evidência foi o trigo, com 3,82 milhões de toneladas, diferença de 71,2% para cima. Apesar deste aumento, esta quantidade ainda não é suficiente para abastecer o mercado interno, o que leva o Brasil a importar parte do produto da Argentina.

            Por outro lado, as exportações dos outros grãos cresceram. Até o final do ano serão embarcadas 52,17 milhões de toneladas de milho, soja, feijão e algodão. De janeiro a julho, a saída desses produtos e seus derivados já rendeu ao País US$ 13,29 bilhões. A balança comercial do agronegócio, nesse mesmo período, contabilizou US$ 40,11 bilhões em exportações.

            Produtores - A lista dos maiores produtores de grãos é encabeçada pelo Paraná (21,1%), seguida por Mato Grosso (19,7%), Rio Grande do Sul (15,6%) e Goiás (9,1%). A pesquisa da Conab foi realizada por cerca de 80 técnicos, entre os dias 18 e 22 de agosto. Eles consultaram agricultores, cooperativas, sindicatos, órgãos públicos e privados dos principais estados produtores.


Agência Estado