Notícias


Soja

Publicada em 30-09-2008


    Produtores de soja do Paraguai anunciaram que vão tomar uma postura mais rígida em relação ao governo do presidente Fernando Lugo, que ameaça aplicar um imposto de 15% sobre as exportações do grão.

    O Paraguai, que produziu cerca de sete milhões de toneladas em 2007, é o quinto maior produtor de soja no mundo, chegando a exportar mais de cinco milhões de toneladas por ano.

    Claudia Russer, presidente da Associação Paraguaia de Produtores de Soja e Oleaginosas, disse hoje à rádio Primeiro de Março que a entidade decidiu não vender nem um grão ao final da colheita, em protesto pelas demandas não atendidas do setor.

    "Antes de falar de novos impostos, o governo deve solucionar o problema das invasões de terras", declarou a dirigente empresarial.

    Disse ainda que os produtores não gozam de segurança física nem jurídica, referindo-se aos raptos e às ameaças de seqüestros sofridos por empresários do setor.

    A organização costuma pressionar o governo com os "tratoraços" (fechamento de estradas com tratores), mas, segundo Claudia, as novas ações não se limitarão a esse tipo de protesto.

    Lugo, conhecido por ser "simpático aos ideais dos sem-terras", assumiu a presidência do Paraguai no dia 15 de agosto, interrompendo 61 de poder do Partido Colorado (conservador).

ANSA