Notícias


Nova tentativa de prorrogação do FCO

Publicada em 25-06-2007


Lideranças entregam laudo coletivo ao Banco do Brasil para renegociação das parcelas do FCO Rural

As lideranças rurais de Mato Grosso entregaram ao Banco do Brasil o laudo coletivo que servirá como justificativa para prorrogação das parcelas vencidas e vincendas em 2007 do Fundo Constitucional do Centro Oeste (FCO Rural). O presidente da Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso (Aprosoja/MT) e vice-presidente da Federação da Agricultura e Pecuário do Estado (Famato), Rui Prado destacou que instituição financeira pareceu favorável à renegociação.

O Banco do Brasil declarou que está finalizando os encaminhamentos técnicos e, na próxima semana, deve iniciar as prorrogações. O laudo entregue demonstra a inviabilidade para quitação das parcelas. “São notórias as dificuldades que o setor agrícola brasileiro vem sofrendo nos últimos anos. Problemas climáticos, pragas, falta de infraestrutura, dificuldades cambiais e mercadológicas, aumento no custo de produção (Frete, Agroquímicos, Serviços etc.) acabaram por causar enormes prejuízos ao setor, que se viu impossibilitado de honrar seus compromissos com fornecedores e instituições financeiras”, relata o documento.

A estimativa é que o débito dos produtores de Mato Grosso com o FCO Rural seja de R$ 250 milhões para o exercício 2007. A dívida total do Centro-Oeste é de R$ 500 milhões. Além da Aprosoja/MT e da Famato, também participaram do ato a Associação Mato-grossense de Produtores de Algodão (Ampa) e Secretaria Estadual de Desenvolvimento Rural (Seder).

Fonte: Ascom Aprosoja/ MT