Notícias


Alimentos antioxidantes: o que são e para que servem

Publicada em 15-09-2008


Para quem já ouviu falar de alimento antioxidantes, mas não sabe o que isso quer dizer, está é a explicação simples: eles bloqueiam os efeitos dos radicais livre, que por sua vez, podem danificar células sadias do nosso corpo. Alguns antioxidantes são produzidos por nosso próprio corpo e outros - como as vitaminas C, E e o beta-caroteno – outros, devem ser ingeridos.

A nutróloga e especialista em medicina ortomolecular Tamara Mazaracki explica a real função dos alimentos antioxidantes e fala a necessidade de variação da refeição diária.

- Um outro termo para o alimento antioxidante é 'alimento funcional', ele pode ajudar a tratar e a prevenir doenças. Esses alimentos, de um modo geral, são os integrais, os não-processados, as frutas, os legumes, as verduras, os grãos, cereais e alguns temperos. Um excelente alimento antioxidante é o azeite que vai ajudar evitando a oxidação de gorduras. O alimento antioxidante é aconselhável à todos os tipos de pessoas, até porque há uma grande variedade desses alimentos, mas nenhum tipo deve ser consumido em excesso. Aqui no consultório vejo muitos pacientes com o que eu chamo da “síndrome do intestino irritado” que é quando alguém come muito um determinado tipo de alimento, em geral a soja e o hábito traz malefícios ao organismo. As pessoas comem carne de soja, leite de soja e mais soja depois, todo o excesso poder fazer mal – disse Tamara.

A doutora Tamara explica ainda que a barra de cereal, geralmente sinônimo de saúde e comida saudável, pode não ser tão saudável assim. Segundo ela, a barra de cereal é exemplo de alimento muito processado e cheio de açúcar e não deve se tornar um hábito consumi-la em excesso.

O médico ortomolecular Jorge Jamili, que é especialista em alimentos antioxidantes, explicou todo o processo de oxidação e mostra como o excesso de alimentos oxidantes são favoráveis ao envelhecimento.

- A oxidação é um dos processos de envelhecimento, ou seja, cerca de 5% do oxigênio que não respiramos, não é queimado. Esse oxigênio que fica desestabilizado tem que roubar elétrons, até os 25 anos de idade esse processo de roubo de elétrons é compensado, depois dos 30 anos, com a queda hormonal, o processo acelera. Portanto, as células do corpo inteiro vão envelhecer mais rápido, esse balando desfavorável se chama “envelhecimento” – explica Jorge.

O médico explica que a medicina está evoluindo muito rápido, entretanto as pessoas estão ficando mais doentes, esse processo paradoxal se dá por causa de três fatores: a alimentação, o estresse e o sedentarismo. O ser humano nunca comeu tanta química, e isso oxida.

- Todo mundo tem aquele parente mais afastado, que mora fora da cidade, e que mesmo mais velho e comendo alimentos mais ricos em gordura, vive até tarde muito saudável. O ser humano está ficando cada vez mais mental, fazendo menos exercícios físicos, e isso estressa. O homem precisa comer mais comida caseira, mais arroz integral e peixe. O óleo de canola não é bom porque é modificado geneticamente, o ômega 6 faz mal porque é uma gordura que oxida e inflama, o óleo antioxidante é o ômega 3. Todo salmão que comemos aqui é de cativeiro do Chile, ele é alimentado com o óleo de soja, é preferível o consumo de sardinha – continua o médico.

Por fim, o doutor Jorge recomenda a ingestão de óleo de linhaça, açaí sem açúcar, óleo de côco, azeite e legumes. A doutora Tamara Mazaracki recomenda o consumo de salsa, coentro e pimenta vermelha, todos, segundo ela, possuem um alto poder antioxidante.

JB Online