Notícias


Conab aponta queda de 6,4% na safra 2008 de soja em MS

Publicada em 09-09-2008


Mesmo com os dados otimistas sobre a produção de grãos para a safra 2008 divulgados nesta segunda-feira (8) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), órgão ligado ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), a produção de soja em Mato Grosso do Sul deve apresentar uma queda de 6,4% em relação a safra 2007.

Ao todo, o Brasil deve colher 143,87 milhões de toneladas de grãos nestas safra, segundo o 12° levantamento da Conab. Entre os maiores produtores estão os Estados do Paraná, Mato Grosso, Rio Grande do Sul e Goiás. O volume será 9,2% maior que o colhido na última safra.

Em Mato Grosso do Sul, o milho, como no restante do País, terá bons resultados. Com duas colheitas no ano, a cultura do milho participou com 58,59 milhões de toneladas, ou 14% (7,21 milhões de toneladas) a mais que na safra passada. No Estado, serão colhidas 3,4 milhões de toneladas do grão, 17,8% a mais que no último período, que resultou em 2,9 milhões de toneladas de milho.

“Os números apenas comprovam que a produção de milho em Mato Grosso do Sul está atendendo ao mercado interno, além de possibilitar aumento nas exportações, contribuindo na consolidação do milho como uma importante commodities agrícola para o Estado”, avalia Jerônimo Chaves, superintendente de agricultura e pecuária da Secretaria de Desenvolvimento Agrário, Produção, Indústria, Comércio e Turismo (Seprotur).

Jerônimo aponta que na safra 2006/2007, foram colhidas 2,9 milhões de toneladas, sendo que cerca de 1,2 milhão foi utilizada no consumo interno, e outras 900 mil toneladas destinadas a exportação.

Soja

Na cultura da soja, os dados da Conab apresentam queda de 6,4% na produção. A safra 2006/2007 trouxe 4 milhões e 800 mil toneladas de soja, enquanto que para este ano, a expectativa é colher 4 milhões e 500 mil toneladas do grão.

“Por conta das intensas chuvas de dezembro a fevereiro, a aplicação dos defensivos agrícolas foi dificultada, o que apresentou alguns problemas sanitários. Além disso, houve certas regiões com períodos de estiagem, o que também prejudicou a cultura”, explica Jerônimo.

Devido a isso, o plantio da soja foi atrasado, o que também adiou o plantio do milho, que junto com o sorgo, deve concluir a colheita até o final de setembro.

Corumbá Online