Notícias


Soja e cana triplicam os valores das terras

Publicada em 09-09-2008


A força da soja e a disseminação da cana-de-açúcar em Uberaba e região têm valorizado as terras uberabenses. O preço delas chega a ser três vezes maior que o da média nacional e até o dobro que o cobrado em regiões tradicionais como o Mato Grosso.

O secretário municipal de Agricultura e Pecuária, José Humberto Guimarães, revela que o hectare em região uberabense mecanizável adequada para culturas custa entre R$ 8 mil e R$ 12 mil. Já o hectare, em média, está avaliado em cerca de R$ 4 mil no país. E no Mato Grosso, região propícia também para diversas lavouras, o preço do hectare, em média, é de R$ 7 mil.

José Humberto informa que em terra de pasto degradado o preço é depreciado, mas ainda segue alto. "Gira em torno de R$ 6 mil", informa. E em áreas de Uberaba não-mecanizáveis, o valor é bem inferior. "São regiões cuja declividade é superior a 12% e dificulta a agricultura. Nelas, o hectare custa apenas cerca de R$ 4 mil", revela o titular da pasta.

Já o arrendamento, prática cada vez mais comum e também valorizada na cidade, tem os preços em alta. Secretário de Agricultura lembra que os proprietários destas terras arrendadas para a plantação de soja cobram em torno de sete sacas de soja por ano, em média. "Esta é a média dos cinco primeiros anos. No primeiro ano, paga menos e depois esse valor vai subindo, até chegar a nove, 10 sacas no quinto ano." E quem arrenda áreas para as usinas plantarem cana-de-açúcar recebe 14 toneladas de cana por hectare/ano.