Notícias


Exportações do agronegócio deverão chegar a US$ 74,4 bilhões

Publicada em 02-09-2008


Tendo o complexo soja (grão, farelo e óleo) como carro-chefe, as exportações do agronegócio brasileiro deverão fechar o ano com uma receita de US$ 74,4 bilhões, um crescimento de 27,4% em relação aos US$ 58,4 bilhões que a cadeia produtiva do setor vendeu para o mundo em 2007.

Será o maior faturamento vindo das exportações em toda a história do agronegócio brasileiro, e deverá, ainda, registrar um superávit de US$ 62 bilhões - também recorde, em sua balança comercial.

Para os especialistas em comércio exterior ouvidos pela reportagem da ANBA, o desempenho da balança comercial do agronegócio de janeiro a julho desse ano são indicadores claros de que tanto as exportações como o superávit que está sendo previsto pode até ser superado.

No entender do analista econômico da Organização das Cooperativas do Estado do Paraná (Ocepar), Cassiano Bragagelo, os dados da balança comercial do agronegócio divulgados na última quinta-feira (28) pelo Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (MAPA) só vieram reforçar as projeções do mercado para o desempenho do comércio exterior do agronegócio em 2008.

Segundo o MAPA, de janeiro a julho, as exportações do agronegócio somaram US$ 41,7 bilhões, um crescimento de 30,2% em relação ao mesmo período do ano passado. Já as importações somaram US$ 6,7 bilhões, um crescimento de 44,7% em relação ao mesmo período de 2007.

Segundo o analista da Ocepar, apesar do aumento das importações do agronegócio, o saldo comercial da balança do setor nos primeiros sete meses do ano teve uma expansão em relação a janeiro-julho do ano passado de US$ 7,6 bilhões, saltando de US$ 27,3 bilhões para US$ 34,9 bilhões.

Analisando apenas o resultado do mês passado da balança comercial do agronegócio, os especialistas observaram que as vendas externas cresceram 50,3% resultando num faturamento de US$ 7,9 bilhões.

Também em julho as importações cresceram 55,2%, mês em que o Brasil importou US$ 1,1 bilhão. Com isso, no mês passado, a balança comercial, comparada ao mesmo período de 2007, registrou dois recordes na série histórica, iniciada em 1989: nas exportações (US$ 7,9 bilhões) e no superávit comercial, que foi de US$ 6,8 bilhões. “Até o final do ano tudo indica que as exportações do agronegócio continuarão aceleradas, estimuladas pelos preços, mesmo que as quantidades exportadas nem sempre acompanhem o aquecimento do setor”, explicou o assessor técnico da Confederação Nacional da Agricultura (CNA), Matheus Zanella.

Cooperativas e estados

Cassiano Bragagelo concorda com o assessor da CNA de que as exportações devem continuar crescendo e citou como exemplo a expansão recorde das vendas externas das cooperativas agrícolas do Paraná. Levantamento realizado pela Gerência Técnica e Econômica da Ocepar mostra que as exportações das cooperativas paranaenses tiveram um crescimento de 65% nos sete primeiros meses de 2008, o dobro do registrado pelas cooperativas brasileiras (32,5%) nesse período.

Mas as exportações do agronegócio brasileiro têm crescido em quase todos os estados do país, segundo o Ministério da Agricultura. Em julho, por exemplo, as vendas externas do agronegócio dos estados de Goiás, Mato Grosso, Bahia e Mato Grosso do Sul superaram em mais de 100% os valores exportados em igual período de 2007.

Dados do MAPA revelam ainda que, no mês passado, os estados que mais venderam para o mercado internacional foram São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul e Mato Grosso. Do valor total das exportações brasileiras do agronegócio de julho, US$ 7,9 bilhões, os estados foram responsáveis por cerca de 52%.

As exportações paulistas do agronegócio no mês passado cresceram 26,2% em relação a julho de 2007, totalizando US$ 1,6 bilhão. Açúcar, álcool etílico, suco de laranja, carne bovina in natura e papel foram os principais produtos exportados pelo estado de São Paulo. No acumulado de janeiro a julho, São Paulo vendeu para o mercado externo o equivalente a US$ 8,6 bilhões.

O Paraná exportou em julho US$ 1,3 bilhão em produtos do agronegócio. Em relação a igual período do ano anterior, o crescimento registrado foi de 76,5%. Soja em grãos, carne de frango in natura, farelo de soja e óleo de soja bruto e refinado foram os produtos mais vendidos. De janeiro a julho, o Paraná exportou US$ 6,5 bilhões, registrando um incremento de 53,3% em relação ao mesmo período do ano passado.

O Rio Grande do Sul, por sua vez, vendeu no mês passado para o mercado internacional US$ 1,2 bilhão em produtos do agronegócio. De janeiro a julho, o valor exportado totalizou US$ 6,3 bilhões. Os principais produtos exportados foram soja em grãos, fumo, carne de frango in natura, calçados de couro e carne suína in natura.

ANBA