Notícias


Especulação no mercado dos grãos

Publicada em 19-08-2008


Depois de atingir o limite de baixa na última sexta feira, para iniciar a semana com limite de alta, o mercado de grãos na Bolsa de Chicago (CBOT) – praça referência na comercialização de milho e soja – se mostra a mercê da entrada e saída de fundos de hedge e de investimentos.

A compra de mais de 6 mil contratos futuros de milho e 5 mil de soja explicam em parte o movimento de alta verificado nesse mercado. Além disso, o único motivo “fundamentado” de alta seria a expectativa de um fraco desenvolvimento das lavouras de milho na fase de enchimento de grãos, o que nesse ponto se mostra discutível do ponto de vista dos preços.

O enfraquecimento momentâneo do dólar norte-americano, aliado à leve reação do preço do petróleo no mercado internacional, ajudou na alta dos grãos. No Brasil, os reajustes foram de 5% a 10% no preço da saca da soja, de acordo com a região. Em Rio Grande (RS), um dos principais portos de escoamento da soja, o preço passou de R$43,00/saca para R$48,00/saca.

Enquanto isso, produtores brasileiros seguem na expectativa de início de safra: fica difícil a realização de um plano de plantio baseado nas perspectivas de mercado. Movimentos pontuais e “técnicos” (caracterizados pelo investimento no curto prazo e especulativo) não devem ser encarados como tendência na decisão da próxima safra.

Scot Consultoria