Notícias


Clima favorece início da colheita de trigo no Brasil

Publicada em 06-08-2008


As boas condições climáticas estão favorecendo o início da colheita de trigo no Paraná, principal região produtora do País. De acordo com a Organização das cooperativas do Paraná (Ocepar), os municípios do oeste e noroeste do estado já colheram 1% da produção esperada. A expectativa das cooperativas é de que o estado colha entre 2,8 milhões de toneladas e 3 milhões de toneladas.

Motivados pela valorização da commodity no mercado internacional, os produtores brasileiros deverão colher a maior safra dos últimos três anos, estimada em 5,28 milhões de toneladas pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), um aumento de 38% em relação a 2007.

"Mesmo com a seca durante quase todo o mês de julho, que deixou o clima quente, as lavouras não tiveram nada grave. A chuva na região depois desse período normalizou a situação", explica Flávio Turra, gerente técnico da Ocepar. Turra explicou que o período crítico seguirá até setembro e outubro, quando a colheita atinge o auge. "Só não pode chover nesse período, pois a chuva prejudica a produtividade", afirmou o gerente.

De acordo com a Safras & Mercado, se não houver nenhum problema, a expectativa é de que sejam colhidas 5,5 milhões de toneladas no Brasil. Levantamento da consultoria mostra um crescimento de área em todo o País.

Em São Paulo, a área passou de 42 para 75 mil hectares. A produção está estimada em 190 mil toneladas. Em Minas-Gerais, a área cresceu de 13 para 30 mil hectares e espera uma produção de 130 mil toneladas. No Paraná, a consultoria estima que a área saltou de 820 mil hectares para 1,1 milhão de hectares e prevê que a produção será de 2,7 milhões de toneladas.

"Esses estados já começaram a colheita. O aumento foi motivado pelos preços altos antes do plantio", diz Élcio Bento, analista da Safras & Mercado. Em abril, a consultoria registrou o pico das cotações em 2008, que atingiram R$ 716 a tonelada. No caso do Rio Grande do Sul (segundo maior produtor), a área subiu de 800 para 960 mil hectares, a produção é estimada em 2,1 milhões de toneladas. Em Santa Catarina, o incremento de área foi de 8 mil hectares, fechando em 77 mil hectares. A produção será de 180 mil toneladas.

Trigo com qualidade


Em seu primeiro ano de funcionamento, o programa "Trigo paulista com qualidade", que é financiado pelos moinhos e visa a produção de sementes de alta qualidade, comercializou as 70 mil sacas de sementes de trigo e as 15 mil de triticale ofertadas pelo governo.

"Isso equivale a 30% da área do estado", ressalta Armando Portas, diretor do departamento de sementes e mudas da Cati, que pertence à secretaria da agricultura. Para Luiz Martins, presidente do Sindustrigo, a experiência foi positiva e para o próximo ano a expectativa é de que pelo menos dobre a quantidade de sementes utilizada.

Toshimitu Varicoda, produtor de trigo em Itapetiniga, explica que ainda é necessário a criação de um preço mínimo que assegure a renda dos produtores.

Fonte: Gazeta Mercantil