Notícias


Brasil autoriza mais pesquisas de produtos modificados

Publicada em 07-07-2008


A crise mundial dos alimentos e a preocupação em dobrar, nos próximos dez anos, a produção brasileira de grãos aumentam a importância das pesquisas para melhorar a produtividade agrícola e relançam o foco - e a polêmica - sobre as pesquisas de transgênicos no país, informa a edição deste domingo do jornal "O Globo".

Este ano, o número de pedidos de experimentos em meio ambiente de produtos geneticamente modificados está ascendente: já foram aprovados 49, mais da metade dos 85 liberados em todo o ano passado.

Outros 33 pedidos estão na pauta da reunião de julho da Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio), órgão que regula e libera as pesquisas e a comercialização dos produtos geneticamente modificados. A entidade ainda tem 74 relatórios de pesquisas já realizadas aguardando aprovação.

A maioria desses estudos é de sementes de grãos como milho, algodão, soja e arroz, mas também existem aqueles em torno do feijão resistente a vírus, da alface que servirá de vacina contra a leishmaniose, além de batata, laranja, tomate e mamão modificados.

Os experimentos, feitos por multinacionais, mas também por Embrapa, Alellyx (do grupo Votorantim) e Coodetec (Cooperativa Central de Pesquisa Agrícola), voltam-se ainda a espécies que podem aumentar a produção de madeira e biocombustíveis.

Fonte: O Globo Online