Notícias


Alta do petróleo afeta fertilizantes e aviação

Publicada em 06-05-2008


A disparada do preço do petróleo no mercado internacional este ano - na segunda-feira, o preço do barril negociado na Bolsa Mercantil de Nova York ultrapassou pela primeira vez na história o patamar dos US$ 120  e nesta terça o barril do Brent chegou a ser cotado a US$ 119 - já afeta os preços de plásticos, querosene e fertilizantes no Brasil, mostra reportagem do Globo. Para o consumidor, dizem empresas e especialistas, o efeito, indireto e diluído no preço final do produto, começará a ser sentido em junho.

No atacado, as altas já são vistas com preocupação pelas indústrias. No setor de plástico, o aumento dos insumos chega a 5% este ano. E as embalagens, que usam esse insumo, já subiram 1,31% entre janeiro e abril, diz a Fundação Getulio Vargas (FGV).

Ainda de acordo com a FGV, o querosene de aviação - que afeta o preço da passagem aérea - subiu 11,32% no período. As companhias aéreas devem esperar até o início da temporada de férias, a partir de junho, para repassar para o preço das passagens esse custo.

O petróleo também afeta os preços de fertilizantes, o que deve gerar impacto nos alimentos. Segundo a Agroconsult, consultoria especializada em agronegócios, o preço do adubo tem subido entre 5% e 8% este ano. Para a consultoria, o forte aumento na demanda também impulsion as cotações do produto, já que o Brasil consumirá 25,5 milhões de toneladas de fertilizantes, volume 5,2% maior do que o de 2007.

Fonte: Globo Online