Notícias


Trigo: Alternativa de Produção Outono/Inverno

Publicada em 07-04-2008


Opinião de J. Ubirajara Garcia Fontoura
* Doutor em Agronomia,Consultor em Agronegócio.

As atividades de produção de grãos em Mato Grosso do Sul, nos últimos anos tem se consolidado. A evolução tecnológica, a demanda por produtos tanto para consumo humano e animal, uso industrial e exportação são os principais fatores de crescimento.

As características climáticas do estado, e a importância, do produto soja, especialmente, têm favorecido o maior desenvolvimento desta lavoura de verão. Ficando, muitas vezes em segundo plano, as lavouras de outono/inverno.

Neste contexto, por falta, de planejamento a cultura de "milho safrinha" e trigo são prejudicadas, não produzindo resultados de produtividade satisfatórios.

Para melhoria dos resultados, manutenção das atividades e geração de receitas, há necessidade de planejamento de implantação das safras de verão e outono/inverno (safrinha) com antecedência.

As alternativas para outono/inverno, são diversas, tais como milho, trigo, triticale, aveia, sorgo, milheto e até pastagem.Cada uma destas culturas, tem sua época de semeadura mais adequada, já preconizada pelos órgãos de pesquisa e recomendado legalmente pelo Ministério da Agricultura, através do Zoneamento Agro-climático, que visa à redução de perdas devido a fenômenos climáticos e uso adequado do solo.

Até poucos dias, ainda assistíamos a movimentação de produtores, para a semeadura de milho. No entanto há necessidade da obediência da época de semeadura desta cultura, que era no máximo até 20 de março. Caso seja feita após esta data, os riscos de perdas por geadas e/ou deficiência hídrica sã elevados.

Após esta data, entre 1º. a 30 de abril podemos semear trigo na região de Dourados, podendo se prolongar até 10 de maio na região da fronteira. As condições de mercado para este grão são favoráveis. Talvez a dificuldade maior em MS, seja a falta de sementes de variedades mais adaptadas, pois o Setor Sementeiro foi desagregado, devido à falta de interesse de produção nos últimos anos. No entanto, com uma parceria com órgãos de pesquisa, especialmente a Embrapa, e governo estadual, talvez seja possível encontrar soluções.

Na seqüência, a aveia, sorgo, milheto podem ser cultivadas. Como já foi dito, até forrageira para um Sistema Integrada Agicultura/Pecuária ou mesmo para manter o solo coberto e especialmente para a produção de palhada para Plantio Direto.

Fonte: Jornal O Progresso