Notícias


Falta de apoio leva produtor às tradings

Publicada em 06-04-2008


O gerente de Planejamento da Associação dos Produtores de Soja do Estado de Mato Grosso (Aprosoja/MT), Cid Sanches, concorda com parte das contestações, mas frisa, que sem apoio do governo federal que não adota uma política de juros e financiamentos diferenciada ao produtor, “cabe a ele, aceitar as condições, mesmo tendo alguns contratos feitos a base de taxas de 24% ao ano”.

Ele lembra que a entidade tem o posicionamento de que os contratos devem ser cumpridos e reforça isso a cada safra aos associados. Porém, destaca que para esse tipo de negociação, o produtor tem de saber exatamente o que precisa, tanto para o custo de produção, como para cobrir o passivo que acumula safra à safra. “O produtor precisa trabalhar sua capacidade de gestão, pois o segmento é uma loteria, pois o que é bom momento em que se assina o contrato pode não ser no momento da entrega”.

Ele lembra, que para este ano, por conta dos preços futuros considerados bom para a soja desta safra (07/08), o governo federal não vai realizar leilões do grão, aqueles que garantem uma rentabilidade mínima ao produtor quando há diferenças no preço de mercado e custo de produção. “Esse é um agravante, e mais uma vez joga o produtor nos braços das multinacionais”.

Pelos números – ainda estimados pela Aprosoja/MT – esta safra exigiu 28 sacas para cobrir custos com insumos, 20 sacas para operações de um modo geral. Até aqui, 48 sacas comprometidas para se produzir um hectare. “Como a expectativa média de produtividade para este ciclo é de 50 sacas por hectare, nesta teoria, o produtor terá de sobra duas sacas por hectare de lucro, porém, para quitar o saldo devedor das safras ruins, ele precisa de cinco sacas por ano, por hectare para ir zerando a dívida. O que não está sendo possível até o momento”.

Sanches pontua que foram duas safras de desequilíbrio (04/05 e 05/06) – quando houve a disparada dos preços dos insumos e a redução do poder de compra do dólar frente ao real – e duas safras de empate (06/07 e 07/08).

MUDANÇA - Para capacitar o produtor rural à nova demanda do mercado, que é a precisão, para minimizar custos, curso de comercialização para produtores estão sendo elaborados pela entidade. Até agosto, à vésperas do novo plantio da soja, a Aprosoja/MT vai lançar o “Manual da Soja”, que trará todas as informações necessárias para se operar o mercado futuro e as negociações que envolvem a safra.

Fonte: Diário de Cuiabá