Notícias


Expansão da soja é tema de dissertação

Publicada em 03-04-2008


O aluno do programa de pós-graduação em Agronegócios e Desenvolvimento Regional, da Faculdade de Administração, Economia e Ciências Contábeis (FAECC) da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Orlando Evangelista Cunha, fará a defesa pública da dissertação de mestrado amanhã (4), às 14h, na sala 5 da FAECC. Orientada pelo professor doutor, Fernando Tadeu de Miranda Borges, o mestrando defenderá a dissertação ´´Expansão da soja e desenvolvimento econômico no período de 1995 a 2005´´.

A banca examinadora será composta pelos professores doutores Flávio Azevedo Marques de Saes (USP), José Manoel Carvalho Marta (UFMT) e Fernando Tadeu de Miranda Borges (UFMT - orientador).

Resumo da dissertação - O trabalho tem por objetivo identificar se o crescimento econômico decorrente da produção de soja em Mato Grosso no período de 1995 a 2005 foi importante para impulsionar o desenvolvimento econômico. Para tanto, utilizam-se indicadores socioeconômicos e de desempenho, tais como: Índice de Correlação de Pearson; Taxas Geométricas de Crescimento; Índice de Vantagem Comparativa Revelada (VCR); Evolução do Produto Interno Bruto (PIB) e PIB per capita; Índice de Desenvolvimento Humano (IDH); dentre outros.

Pelos resultados obtidos, pode-se confirmar a hipótese levantada inicialmente de que o crescimento econômico proporcionado pela expansão da soja em Mato Grosso no período de 1995 a 2005 não representou um desenvolvimento econômico efetivo, conforme defende a literatura econômica. Constatou-se que o produto soja lidera há quase duas décadas as exportações do Estado, confirmando a tendência de ser o produto principal na pauta de exportações e da permanência histórica de um modelo agroexportador em Mato Grosso.

Verificou-se que a expansão da soja no Estado teve forte participação estatal, seja por meio do financiamento subsidiado da produção, seja por meio dos Programas Polocentro e Prodecer. Constatou-se também que as exportações do complexo soja (grãos, farelo e óleo) impactaram fortemente o crescimento do PIB estadual, cujas taxas de crescimento superaram a do Brasil, as quais contribuíram para maior abertura econômica via inserção no mercado externo.

Ficou evidente também as elevadas VCRs dos principais produtos da pauta de exportações, notadamente do complexo soja. A despeito de Mato Grosso ter se consolidado na liderança brasileira da produção de soja, ocorrida a partir da safra de 1999/2000, constataram-se algumas vulnerabilidades no processo produtivo: baixa capacidade de gerenciamento de risco e crédito; elevada vulnerabilidade externa; e problemas logísticos.

A expansão da soja no Estado revelou um paradoxo: se por um lado, a dimensão econômica pode ser considerada um ´´sucesso´´, por outro, não se pode afirmar o mesmo em relação à dimensão social, cujos indicadores revelaram uma medíocre distribuição de renda e riqueza, principalmente nos dez maiores municípios produtores de soja, contribuindo para a persistência de um elevado nível de desigualdade econômica e social no Estado.

Mais informações podem ser obtidas no telefone (65) 3615 8521.

Fonte: O Documento