Notícias


EUA devem ter grande mudança de milho para soja em 2008

Publicada em 30-03-2008


Os preços recordes da soja devem impulsionar os produtores dos Estados Unidos a aumentarem a área da oleaginosa e reduzir a do milho em 2008, e se o padrão climático frio e úmido persistir em importantes produtores do cereal, o milho poderia sofrer uma redução de área ainda mais dramática.

"Ainda é cedo, mas isso tem que ser uma preocupação. Os prospectos de começar tarde ou de não conseguir plantar tudo mais cedo neste ano estão aí, com as condições mais úmidas e frias, isso mantém as temperaturas do solo baixas", afirmou Shawn McCambridge, analista da Prudential Financial.

Os produtores norte-americanos começam a plantar o milho antes da soja, para alcançar o máximo de produtividade. Uma grande safra de milho é necessária neste ano para atender à forte demanda do setor de energia (etanol).

O departamento de Agricultura dos EUA (USDA) vai divulgar nesta segunda-feira o fortemente aguardado relatório de plantio de março.

Uma estimativa média de analistas indica que o plantio de milho neste ano atingirá 87,3 milhões de acres, forte queda de 6,2 milhões de acres, ou mais de 6,5% na comparação com a performance do ano passado, de 93,6 milhões, quando os EUA plantaram a maior área de milho em mais de 60 anos.

"Todos os números são enormente importantes, este é o maior relatório que o USDA já divulgou", afirmou um analista de grãos.

No ano passado, os produtores plantaram muito milho porque os preços do grão subiram para os maiores valores em décadas, com a forte demanda pelo produto.

Desde então, os preços do milho subiram ainda mais, mas a soja também atingiu recordes, numa guerra por acres sem precedentes, fazendo da oleaginosa a nova "queridinha" dos fazendeiros do Meio-Oeste.

"Todo mundo está preocupado com o milho, e eu lido com fazendeiros e consumidores, e uma coisa para ser lembrada é que esses números são um instantâneo da situação", disse Daniel Bluntzer, diretor de pesquisas da Frontier Risk Management.

A revista Farm Futures fez uma pesquisa com quase mil fazendeiros que revelou uma grande troca de milho (queda de 5,9 milhões de acres) para a soja (alta de 8,2 milhões de acres). "Os fazendeiros mostraram mais uma vez que eles estão prontos para responder aos sinais do mercado", afirmou o editor da revista, Bryce Knorr.

"E o mercado está dizendo a eles para plantarem mais soja devido aos estoques muito apertados projetados para 1º de setembro nos EUA."

O mercado está dizendo isso, mas o fator climático será outra questão a ser considerada.

"A grande diferença entre este ano e o ano passado é o tempo. Nós tivemos um bom início no plantio no ano passado, e eu acho que isso resultou em muito mais plantio de milho no ano passado", disse Knorr.

Nesta segunda-feira, o USDA também vai divular os relatórios de estoques trimestrais que vão mostrar o volume de soja, milho e trigo armazenado em 1º de março.

Historicamente, os preços altos do trigo também levam os produtores dos EUA a plantarem mais o grão de primavera, aumentando a área total norte-americana, dizem analistass.

Entretanto, neste ano não será um plantio geral de trigo de uma cerca até a outra.

Em função dos interessantes preços de outros produtos, da soja, cevada e também do girassol, o trigo duro vermelho de primavera está ainda batalhando por terras.

Os dados sobre o plantio de trigo também serão divulgados nesta segunda-feira.

Analisas estimam um plantio de todos os tipos de trigo dos EUA em 2008 em 63,6 milhões de acres, alta de 5% na comparação com 2007.

Para o trigo de primavera, com exceção do durum, a área estimada é de 14,1 milhões de acres, alta de 6% ante 2007.

A maior parte do trigo cultivado nos EUA é de inverno, cuja área foi de 46,6 milhões de acres, menos do que esperavam analistas.

Fonte: Reuters News