Notícias


Começa o plantio de milho em Dourados

Publicada em 19-02-2008


Com a colheita da soja, os produtores rurais de Dourados iniciam agora o plantio do milho. De acordo com o presidente do Sindicato Rural Gino Ferreira, as expectativas são boas, devido a recuperação dos produtores frente ao mercado. "A procura está sendo bem maior devido a utilização do milho na fabricação de álcool americano. Isso vem impulsionando a exportação. Com certeza este ano, os investimentos serão compensados", afirma.

Gino acredita que o produtor de soja deve se recuperar dos prejuízos do ano passado, quando a produção foi atingida com custos baixos do dólar, doenças e estiagem. "Hoje contamos com o próprio mercado interno, que vem pagando o valor de R$ 43. Um preço razoável. O ruralista tende a readquirir poder independente em Dourados", disse.

O produtor Avelino Rucaro, enfatiza que não houve grandes avanços este ano com relação a lucros com a soja. Segundo ele, no período de 2008, os produtores tiveram mais gastos quanto ao uso de defensivos. "Foram duas aplicações a mais do que no ano passado", relata.

Para este ano, ele prevê a colheita de mais de 170 mil sacas (10.200 toneladas), o mesmo produzido no ano passado. Ele conta que durante os 30 anos de produção, o ano de 2006 registrou prejuízos de 60%, enquanto que 2002 foi o melhor para os ruralistas. "Os prejuízos foram muitos, mas o preço da soja está ajudando", pondera.
Quanto ao milho, o produtor relata que vende a quantia de 60 quilos ao preço de R$ 20 e que para comprar o saco de sementes, de 20 quilos paga em torno de R$ 250. "Os investimentos são necessários. Os lucros vêm da força de vontade de cada produtor", disse.

Levantamentos do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apontam que a região da Grande Dourados deve colher este ano, uma média de 465 mil toneladas de soja, numa área plantada de 155 mil hectares.
De acordo com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), na última safra foram produzidas, em todo o País, mais de 14,7 milhões de toneladas de milho safrinha e, para a safra 2008, a previsão é de que esse número seja menor, mas alcance 14,5 milhões de toneladas.

Antes, considerada safra menor ou, até mesmo, marginal, hoje é vista por muitos produtores, sobretudo das regiões Centro-Oeste e Sul do Brasil, como uma segunda safra, oportunidade para se obter ganhos financeiros, tanto quanto a primeira e mais tradicional safra. Em 2007, a produção do milho safrinha foi maior que 40% da produção na safra normal.

Fonte: Jornal O Progresso