Notícias


Outubro foi mês recorde

Publicada em 21-11-2007



Outubro foi sem dúvida o mês da redenção para os exportadores mato-grossense. Além de registrar o maior volume em vendas mensais deste ano, o resultado garantiu um crescimento de 14,67% sobre o acumulado em igual período do ano passado. Ainda nesta comparação, os volumes registrados de janeiro a outubro já se igualam ao realizado nos doze meses de 2006. As exportações estaduais somam US$ 4,28 bilhões, enquanto o ano passado fechou com vendas de US$ 4,33 bilhões. Na série mensal, outubro registrou a maior negociação de 2007: US$ 547 milhões. Estas cifras representam um crescimento de 25% em relação a outubro do ano passado, quando as vendas atingiram US$ 409,77 milhões.

Com o crescimento registrado em outubro, as projeções são de que as exportações mato-grossenses encerrem 2007 com crescimento de 15% sobre os números do ano passado, um salto de 10 pontos percentuais acima do registrado em 2006, que ficou em 4,38% na comparação com 2005.

De acordo com estimativas da Federação das Indústrias no Estado (Fiemt), caso seja confirmada esta previsão, as vendas de Mato Grosso para o exterior fecham o ano com US$ 4,98 bilhões, contra US$ 4,33 bilhões em 2006. A Fiemt divulgou ontem os números das exportações nos primeiros dez meses de 2007. O levantamento foi feito pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio.

“Se mantivermos este desempenho, poderemos chegar ao índice de crescimento de 15% no ano”, prevê o vice-presidente da Fiemt, Jandir Milan. Ele atribui a boa performance das exportações ao fim da crise do agronegócio, à recuperação dos preços internacionais das commodities e à retomada do crescimento econômico. “Retomamos os investimentos e temos ótimas perspectivas pela frente”, frisou Milan.

Além do peso da soja sobre a pauta estadual, o segundo semestre é tradicionalmente o melhor em desempenho, já que a partir de agosto recebe o “reforço” do algodão, quando a fibra está saindo do processo industrial direto para o mercado internacional. As vendas desta commodity, por exemplo, tiveram incremento de 35,5% em relação a outubro de 2006 e também registra ganho de US$ 0,09 por quilo comercializado.

Segundo os números divulgados pela Fiemt, as exportações no período de janeiro a outubro deste ano atingiram a cifra de US$ 4,28 bilhões, contra US$ 3,73 bilhões em relação ao mesmo período do ano passado. Em outubro, as exportações totalizaram US$ 547,02 milhões.

A balança comercial – total das exportações menos importações – chegou a US$ 3,68 bilhões, saldo positivo de 8,75% em relação a 2006, quando o volume chegou a US$ 3,38 bilhões.

O intercâmbio comercial (somatória de todas as transações de compras e vendas externas) registrou crescimento de 19,57% no período, passando de US$ 4,09 bilhões (janeiro a outubro de 2006) para US$ 4,89 bilhões, este ano.

IMPORTAÇÕES - As importações, que continuam em ritmo acelerado, têm 71,7% de aumento no período, prevalecendo os insumos agropecuários - que respondem por praticamente 80% do valor das compras externas -, complementadas por máquinas e equipamentos, além do gás natural da Bolívia. Os principais fornecedores externos de Mato Grosso são, pela ordem, a Rússia com 21,7% do valor importado, China com 11%, o Canadá com 10%, seguidos de diversos outros com menores participações, tais como a Argentina, a Alemanha e os Estados Unidos.

PERDAS CAMBIAIS – Esses números foram alcançados apesar das perdas cambiais decorrentes da desvalorização do dólar em relação ao real, que é um fator negativo para as exportações.

De acordo com o consultor econômico da Fiemt, Carlos Vitor Timo Ribeiro, as perdas acumuladas já atingem a cifra de R$ 1,49 bilhão até outubro deste ano, “valor que mostra bem o efeito negativo do câmbio valorizado para as nossas exportações este ano, quando o dólar sofreu uma desvalorização de 18,43% no ano”.

Segundo o economista, “o valor acumulado das vendas externas em nossa moeda seria de R$ 9,21 bilhões com o dólar de outubro de 2006 e não de apenas R$ 7,72 bilhões como agora em 2007, isto devido à cotação média de US$ 2,14 em outubro de 2006 e de US$ 1,80 em outubro deste ano, uma queda de 16,17% no período”.

RANKING - Os números de outubro mantêm Mato Grosso na 10ª posição no ranking dos maiores exportadores brasileiros. O Estado fica atrás de São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Paraná, Pará, Santa Catarina, Bahia e Espírito Santo.

Mato Grosso lidera o ranking das exportações na região Centro-Oeste, com participação de 57,99% no total das vendas para o exterior. Em segundo lugar aparece Goiás (US$ 2,67 bilhão), seguido de Mato Grosso do Sul (US$ 1,14 bilhão), e, Distrito Federal, US$ 63,89 milhões.

A União Européia e a Ásia são os principais destinos das exportações mato-grossenses, respondendo, respectivamente, por 49,04% e 28,86% das vendas. A China é o maior parceiro comercial de Mato Grosso, com 16,9% das compras, seguido da Holanda (13,73%) e, da Espanha, com 10,61%.

Fonte: Folha MT