Notícias


Soja transgênica é alternativa para produtores do MT

Publicada em 19-10-2007


 


Com o intuito de obter maior produtividade, a soja transgênica tem sido uma alternativa de plantio para muitos agricultores de Mato Grosso. Uma estimativa feita pela Associação dos Produtores de Soja do Estado de Mato Grosso (Aprosoja/MT), aponta que a área plantada de soja transgênica na safra 07/08 deve chegar a 1,650 milhão de hectares, o equivalente a 30% do total semeado em soja nas terras mato-grossenses, que deve chegar a 5,7 milhões hectares.


De acordo como diretor executivo da associação, Marcelo Duarte, a área semeada do grão geneticamente modificado não deve reduzir, em relação a área semeada no ciclo anterior (06/07), porém deve ficar estabilizada. O motivo, segundo ele, seria a falta de variedades 100% adaptáveis, se comparadas ao número de variedades que a soja convencional tem. “Algumas regiões são propícias somente para variedades convencionais de soja. A oleaginosa modificada oferece um leque menor de variedades que a convencional. Além de que, dependendo da época em que determinada variedade de soja transgênica é plantada ela não rende a produtividade esperada”. Na última safra, a área semeada em soja no Estado foi de 5,3 milhões hectares. Trinta por cento dos hectares destinados à soja foram cobertos com a variedade OGM, ou seja, pouco mais de 1,5 milhão de hectares.


Apesar da alta tecnologia aplicada, o preço das sementes dessa espécie de grão não é muito superior ao da soja convencional. Duarte explicou, que o produtor paga os royalties da soja OGM, que são taxas pagas às empresas que desenvolvem o grão cobram pela patente da tecnologia. O valor cobrado é de R$ 0,30 por quilo de semente.



Fonte: Folha MT